COPROMO

Em julho de 2017, tive a oportunidade de visitar o COPROMO, projeto de habitação social desenvolvido numa parceria entre a USINA e a Associação Pró Moradia de Osasco. Finalizadas em 1998, as 1000 unidades foram distribuídas em 50 edifícios de 5 pavimentos. Os próprios moradores participaram do mutirão para a idealização e construção do projeto, com apartamentos de 2 quartos, sala, cozinha, banheiro e área de serviço, com cerca de 54 metros quadrados de área útil. A estrutura, em alvenaria de blocos cerâmicos autoportantes, dispensa a execução de elementos verticais, viabilizando a construção por mutirão. As escadas, em estrutura metálica independente, ofereceram segurança aos mutirantes, para o transporte de materiais, ao mesmo tempo em que serviram de prumo para as alvenarias erguidas à sua volta. Ao final das obras, foram feitos sorteios em blocos, para a definição das famílias que habitariam cada apartamento.

 

Quase 20 anos depois da sua conclusão, a vida segue, aparentemente tranquila, por lá. Muitas crianças brincam nas generosas áreas comuns, que dispõem de quadras, pistas de skate e abundante arborização. Num primeiro olhar, quase idílico, a sensação é de que existe uma estabilidade, proporcionada talvez pela identificação dos moradores com o seu lugar, feito por eles e para eles. Mas, para além dos sorrisos, simpatia e conversas, existem questões que atravessam as realidades do cotidiano e da vida em comunidade. Entre as reclamações, a sensação de insegurança, proporcionada pelo fácil acesso aos apartamentos e a falta de administração na organização de festas ou atividades nas áreas comuns. Alguns blocos começam a ser gradeados e existe um plano para subdividir os 50 edifícios em 5 condomínios independentes.